Sejam bem vindos a mais uma resenha e hoje vamos conversar sobre um RPG tático de baixa fantasia, com elementos de sobrevivência e crafting, o Wartales, disponível para PC e Console além de estar na assinatura Xbox Game Pass. Eu sou o Lemm, estou aqui para te convencer a jogá-lo. 

Comande um grupo de mercenários que vagam em territórios medievais devastados pela violência, enfrente desafios logísticos, leve os seus homens aos limites psicológicos e físicos ao enfrentar inimigos desconhecidos, explore masmorras sombrias, lide com características únicas dos membros do grupo, administre suas relações e decida-se entre dilemas éticos enquanto define o rumo de cada região por onde passa.

Não deixem de conferir todas as nossas resenhas que já foram publicados aqui em nosso site!

| Sobre a desenvolvedora 

Antes de começar, queria deixar claro que esse artigo não é patrocinado e contém apenas opiniões pessoais baseadas na minha experiência de jogo, que ocorreu na dificuldade Especialista e modo de exploração adaptativa. Não se preocupe que vamos falar melhor sobre isso mais para frente. 

O jogo chegou ao Game Pass dia 1 de novembro de 2023, há apenas alguns meses, mas já estava disponível na Steam através do acesso antecipado desde dezembro de 2021. Durante o período de quase 2 anos, muita coisa melhorou até o produto ingressar no serviço de assinatura da Microsoft.  

A desenvolvedora indie Shiro Games já havia demonstrado o seu potencial em março de 2018 com o título Northgard, que é bem avaliado até hoje na Steam. Inclusive ele recebeu um novo conteúdo ano passado. Seguindo a tradição, o estúdio lapidou bem Wartales e nos trouxe um RPG tático realmente bom que chama atenção pela sua dificuldade e riqueza de mecânicas que escalam à medida que a gameplay progride.

Wartales já surge para os assinantes como um produto polido, testado e aprovado pela comunidade gamer. Definitivamente os amantes de RPG tático e jogos de gerenciamento de party devem dar uma chance para esse jogo. Agora vamos ver as principais características e o porquê de jogá-lo. 

| Iniciando o Jogo 

O jogo inicia ainda na criação do seu save, quando o jogador se depara com um quadro com a seguinte frase: “Escolha seu destino”. Aqui você deve passar por três etapas que definirão os fundamentos do seu grupo de mercenários. 

Na primeira fase você escolhe quem são os seus acompanhantes. Cada origem proporciona um bônus diferente para a sua party. Isso implica em quais tipos de acompanhantes estarão no grupo incialmente além de quais itens e buffs você receberá ao começar a sua aventura. Eu por exemplo, escolhei “Jovens camponeses em busca de uma vida melhor”. O que me deu 10 pães para alimentar o grupo e um debuff de felicidade de menos 2. Já os acompanhantes que começaram no meu grupo foram: Um bruto, dois lanceiros e um arqueiro. Cada classe tem a sua árvore de habilidades únicas, além de tipos de armas e armaduras que ditam suas ações em combate.

Durante a segunda fase você deve escolher um bônus para o grupo que irá acompanhá-lo até o fim do jogo. Então escolha com calma. No meu caso, escolhi que meus acompanhantes gostam da união com a natureza. Isso aumenta a felicidade toda vez que acampamos na floresta. 

Já na terceira fase você escolhe uma desvantagem que também o acompanhará durante todo jogo. Eu escolhi por exemplo, que o meu grupo tem um conhecimento limitado, isso implica em uma redução de 5% de experiência de Conhecimento. 

Beleza! Após essas três decisões você customizará cada um dos quatro personagens iniciais. Esse é o único ponto do jogo onde você tem liberdade total para escolher as características e habilidades de um personagem. Daqui para frente os novos companheiros ingressarão no grupo com os seus próprios traços, a maioria das vezes gerados aleatoriamente ou adquiridos através de ações dentro do jogo. 

Ok, nesse momento você já percebeu que o jogo tem algum nível de RNG. Esse é um dos elementos que o torna único e divertido. Alguns gamers já me contaram em live que a graça de rejogar Wartales está em formar parties diferentes, já que muita coisa é gerada aleatoriamente. Também é divertido criar parties inusitadas, tipo um grupo formado majoritariamente por criaturas selvagens ou bandidos capturados. Aí é com a sua imaginação. Também é possível desbloquear novos tipos de começo e área inicial da aventura. 

Ainda é na tela de criação do save que você deve decidir entre o modo de exploração adaptativa ou restrita por regiões. O primeiro modo fará com que as dificuldades das regiões exploradas escalem à medida que o seu grupo evolui. Dessa forma, independente da parte do mapa que você estiver, os desafios estarão sempre numa dificuldade compatível.

Já o modo de exploração restrita por região funciona como um RPG clássico, onde cada região do mapa possui um level pré-definido e à medida que você evolui ficará cada vez mais fácil enfrentar os inimigos e desafios até o ponto que você é guiado naturalmente para a próxima região. 

| Felicidade & Comida 

O jogo vai te lançar num mundo ríspido sem muita explicação ou motivação maior. Os membros não são grandes heróis, suas vidas são medíocres e eles estão ali pelo dinheiro, interesses egoístas ou necessidade. Ou seja, nada de guerreiros valorosos em constantes atos heroicos. Vocês são humanos, estão dispostos a atos covardes para sobreviver. Fogem da batalha quando necessário, traem os seus colegas se preciso e entregam o camponês vulnerável ao seu opressor se isso os convém. A adesão dos mercenários ao grupo é representada por uma mecânica de jogo chamada Felicidade. Essa mecânica não está ligada à ética. Ela mede apenas a satisfação geral e determina o quão influentes são os seus membros e quais são os limites das dificuldades que estão dispostos a suportar antes de deixar o grupo. Você terá que gerenciar muito bem os suprimentos de comida e Koroas (moeda do jogo). 

Alguns atos isolados de personagens também impactam a felicidade e você terá que lidar com dilemas pessoais dentro do seu acampamento. Em resumo, uma felicidade de 15 trará Influência, um recurso que pode ser gasto para aprimorar personagens, convencer pessoas, recrutar mercenários etc. 

Uma felicidade de 5 negativa já impacta os mercenários de tal forma que alguns membros se sentem insatisfeitos e podem decidir deixar o grupo. Pequenos eventos ocorrerão dando a oportunidade de contornar a situação temporariamente. 

A felicidade também está ligada diretamente com a comida. Quando não estão bem alimentados os personagens ficam insatisfeitos. Além do mais, algumas características únicas influenciam no tipo de alimentação. Por exemplo, um vegetariano precisará de vegetais para se sentir bem alimentado enquanto um alcoólatra não perdoará a ausência de álcool no acampamento. Resumindo, mantenha seus companheiros bem alimentados e pague seus salários em dia que tudo permanecerá bem. 

| O Acampamento 

Grande parte da mecânica de gestão do jogo ocorre no acampamento. Sempre que você se desloca pelo mapa uma barra de estamina mede o cansaço do grupo até o ponto que você é obrigado a parar. Uma vez dentro do acampamento é possível criar ferramentas e construções que auxiliarão o grupo durante a sua jornada. Cada membro pode assumir uma profissão. Cada profissão traz bonificações e permite ações exclusivas. Entre as profissões temos: Ferreiro, Minerador, Lenhador, Alquimista, Ladrão, Faz-tudo, Pescador, Bardo, Erudita e Cozinheiro. 

Um personagem cozinheiro por exemplo, além de preparar receitas que otimizam a redução de fome, também recebe um bônus no atributo constituição. Então é bem interessante escolher profissões que combinem com a classe do personagem para tirar proveito dos buffs de atributos. 

Também é no acampamento que decisões táticas são tomadas. É possível escolher buffs temporários que estarão disponíveis assim que os primeiros personagens forem promovidos. Por exemplo, ao nomear o capitão do grupo, uma mesa de estratégia é desbloqueada. Ela permite ativar um bônus de combate. 

Várias construções novas aparecerão à medida que o jogo avança e essa parte é realmente legal porque dá um sentimento de progressão único. Ver o seu acampamento evoluindo é realmente muito gratificante. Inclusive, novas mecânicas surgem justamente ao debloquear certas construções. Um exemplo disso é a possibilidade de manter prisioneiros e torturá-los para aumentar a produtividade do acampamento. Essa mecânica é liberada justamente com o desbloqueio de novas bancadas. 

  • Está sem Game Pass Ultimate? Então clique aqui e garanta já o seu com desconto.

| Conhecimento 

Não só de habilidades de combate um bom mercenário é formado. Wartales possui uma mecânica de conhecimento que permite ao jogador desbloquear novas receitas e vantagens. Existem 4 categorias de desafios que você naturalmente vai superando. Quanto mais desafios são superados, mais pontos de conhecimento são desbloqueados, possibilitando a adesão de mais vantagens dentro dessas categorias.  

A primeira categoria é mais voltada para o combate, a segunda para o comércio, a terceira para o crime e a quarta para a exploração. Cada uma possui seus buffs únicos e bancadas especiais, então durante boa parte do jogo você decidirá como será a progressão do grupo. Uma espécie de “qual caminho eu pretendo seguir”. 

| Deslocamento & Prédios 

O deslocamento em Wartales é parecido com o do game Mount and Blade. Você verá o grupo em miniatura no mapa do jogo. Durante o deslocamento o tipo de terreno e as condições climáticas ditam a cadência da viagem. É possível emboscar e ser emboscado e acessar construções. Também é possível consultar o seu nível de procurado, bem naquela pegada de GTA. Quanto mais procurado mais guardas perambulando em busca dos criminosos. O seu nível de procurado aumenta à medida que você comete crimes e diminui com o tempo ou através de certas ações como a captura e entrega de criminosos a justiça. 

Outra coisa legal de mencionar é que ao entrar em um prédio, o jogo dá um zoom e você pode inspecionar minuciosamente os objetos e pessoas presentes naquele local. Várias ações são permitidas, como conversar, roubar, destrancar baús, colher recursos e inspecionar objetos. É bom sempre ficar atento em onde você passa o mouse ou seleciona com o joystick e a dica de ouro é segurando o botão ALT para que alguns objetos e pessoas fiquem destacados na tela (caso esteja jogando no PC). 

| Combate 

Além do jogo te obrigar a aprender a gerenciar os seus recursos, também exigirá paciência e inteligência durante os combates em turnos. Existirão vários tipos diferentes de inimigos que possuem habilidades únicas. Inclusive, essas habilidades variam de acordo com a origem do inimigo, a classe do inimigo e a facção do inimigo. É bem interessante porque no início de cada combate você precisa entender o que está enfrentando para montar uma estratégia eficiente. Qualquer errinho pode significar a morte de um personagem. 

É aqui que outro elemento do jogo se destaca. Quando um personagem é abatido ele literalmente morre e não fará mais parte do grupo. É possível até enterrá-lo e escrever uma frase impactante na sua lápide. 

Você pode escolher a ordem que jogará com os seus personagens. É possível se deslocar e executar ações. Existem ações primárias que só podem ser usadas uma vez por turno e ações secundárias que consomem um recurso chamado Pondo de Valor ou bravura. Esse recurso é regenerado de forma permanente no acampamento ou temporária durante o combate. 

Um personagem seu pode por exemplo gerar um ponto de valor toda vez que terminar o seu turno ao lado de um companheiro. Quando o combate terminar, todos os pontos de valores temporários desaparecerão, então gerencie bem como gasta os pontos permanentes e temporários para maximizar o uso das habilidades dos personagens. 

Outra mecânica muito interessante do jogo é a de redução de danos. Cada personagem possui pontos de armadura, baseados nos equipamentos que carrega. Sempre que sofrem um ataque, o dano causado é retirado da barrinha de armadura. Enquanto existirem pontos de armadura, o personagem estará em Guarda, que a gente pode chamar de mecânica de damage reduction. O capitão da minha party por exemplo, possui 49% de guarda. Sempre que recebe um ataque, o valor base é reduzido em 49% e os pontos de armadura são retirados até chegar a zero, quando a guarda passará a ser nula, ou seja, não haverá redução de dano quando a armadura do personagem estiver quebrada. Todo ataque recebido passará então a atingir a barrinha de vida até que ele morra. 

  • Perdeu as notícias da semana passada? Então confira tudo que rolou no Resumo da Semana!

| Conclusão 

Como esse conteúdo não é exatamente uma review e sim uma indicação de jogo, eu acho que já apresentei as principais mecânicas do título. Não vou entrar em mais detalhes sobre elas. Reservei o finalzinho para listar os principais motivos para te convencer a testar Wartales: 

  • O jogo te dá liberdade para fazer o que quiser do jeito que quiser, você não está preso a uma progressão linear apesar de cada região apresentar sim o seu arco de fechamento.
  • O jogo não possui exatamente um fim, depois de concluir a história, você pode continuar como mercenário fazendo missões e buscando a glória.
  • Os personagens possuem características únicas geradas aleatoriamente ou através de ações específicas. Isso faz com que a sua party fique diversificada e única a cada play. Além disso, torna os personagens bem diferentes, você acaba identificando a personalidade de cada um com o tempo.
  • O jogo pode ser bastante desafiador e recompensador em dificuldades mais altas. Nada de ficar overpower e conseguir matar tudo na sua frente sem esforço. Cada batalha é um desafio que precisa ser superado minuciosamente caso você jogue em dificuldades mais altas.
  • Gerenciar o acampamento é muito divertido e ver a sua evolução gera um sentimento de realização. Você vê os personagens evoluírem enquanto o acampamento cresce organicamente. 
  • Combate tático detalhado com várias habilidades que ditam a identidade do jogo trazendo uma experiência única.
  • O jogo não possui micro transações e há sim muito conteúdo no game base.
  • Explorar pela primeira vez novas regiões vai te impressionar. Elas são muito diferentes e há sempre algo novo para descobrir: tanto mecânicas como locais, personagens e equipamentos. 
  • O mapa é abrangente e coordenar a sua exploração é importante. Você precisará administrar seus recursos. Isso dá um sentimento de gerenciamento de grupo com ênfase nos personagens, seus equipamentos e necessidades. 
  • Por fim, o jogo está na assinatura Game Pass e se você já é um assinante, testá-lo não vai machucar o bolso. 

Para acompanhar as lives de gameplay não esquece de me seguir nas redes sociais (LinkTree), grande abraço! Você curte jogos de RPG tático? Deixe seu comentário e deixe-nos saber! E se quer ter acesso a vários games gastando pouco é só assinar o Game Pass Ultimate, o Game Pass para Console ou o PC Game Pass para jogar. E se pretende adquirir o jogo já sabe… é só ir nos links dos parceiros logo abaixo.


Não deixe também de conferir todas as promoções que estão rolando na Xbox Live acessando nosso link de ofertas. E se você estiver querendo acessar os jogos do catálogo do Game Pass e sua assinatura estiver acabado não se desespere, você pode renovar seu Xbox Game Pass Ultimate usando esse link com desconto.

Autor

  • Lemm

    Sou ex-engenheiro de software, fundador do Clube Cultura Gamer (CCG), e narrador de tabletop RPG de horror. Amo os jogos eletrônicos desde 1997. Me considero um Sommelier de Games. Sou apaixonado por detalhes, histórias e mecânicas. Adoro debates fundamentados. Dou preferência a games sandbox, colony management sim, co-op, survivor e RPG. Também gosto de conversar sobre investimentos, política e a rotina da vida. Aperta o PLAY!

1 comentário

  1. O jogo é excelente pra quem gosta de RPG em turno com estratégia, a única coisa que ele peca é em não explicar muito bem algumas dinâmicas da gameplay, que vc descobre na marra, na sorte ou pesquisando pelos sites.

Comments are closed.