Caros jogadores, espero que gostem da minha Review do Prince of Persia: The Lost Crown, um game desenvolvido pela Ubisoft que, para a alegria dos fãs que sempre tiveram esperança de um novo jogo dessa franquia tão famosa, finalmente chegou para nós apreciarmos. Desde já agradecemos pelo código cedido pela Ubisoft para a análise e cobertura desde game.

| Trailer

| História

Na Persia, 30 anos se passaram após a rainha Thomyris assumir o trono, o que fez com que as chuvas parassem a cair e o antigo Deus do tempo e destino, chamado Simurgh, simplesmente sumir do mapa. Agora as terras que já estão castigadas, recebem um ataque em massa dos sanguinários guerreiros do leste, chamados de Kushans. Apesar de resistirem ao ataque, as forças lideradas pelo general Ardashir uma a uma começam a ceder. Com isso, a general Anahita, chama os reforços dos sete imortais que vieram diretamente dos céus, sendo eles: Vahram, Artaban, Menolias, Nieth, Orod, Radjen e Sargon (este último nosso protagonista).

Após à chegada deles a batalha toma um novo rumo e Sargon, o mais novo entre eles e discípulo direito de Anahita, foi capaz de derrotar o General Kushan, chamado Uvishka. Após isso Sargon foi chamado até o palácio, onde a rainha Thomyris juntamente com seu filho o príncipe Ghassan, decidem condecorar Sargon com a faixa real por seus feitos em batalha. Contudo, Anahita relembra Sargon que muitos haviam morrido e que a Persia ainda estava sofrendo com isso.

Mais tarde, quando os imortais se unem para beber e comemorar sua vitória, eles descobrem que a cidade estava em alerta e que o príncipe Ghassan havia sido sequestrado por ninguém menos que a mentora de Sargon, Anahita, porém Sargon não consegue impedi-la à tempo, com isso a rainha ordena que os imortais vão atrás de Anahita e tragam seu filho de volta.

| Jogabilidade

O combate tem algumas variações e você precisa prestar atenção para defender e desviar na hora certa, para poder usar o “Parry” sem perder vida ao defender. O game foca na ação e aventura com visual em 2D.

No início temos acesso a somente uma habilidade e com o decorrer do tempo vamos desbloqueando várias outras novas habilidades que nos darão novos golpes. Cada habilidade nos possibilita também acessar novas áreas do mapa, ao melhor estilo Metroidvania. O mapa é grande e bem diversificado, com novos inimigos e bosses que podem dificultar bastante a sua vida dependendo da dificuldade em que você iniciou o game.

  • Está sem Game Pass Ultimate? Então clique aqui e garanta já o seu com desconto.

| Dicas e Acessibilidade

Se você é aquele tipo de pessoa que vive se perdendo nos mapas não se preocupe, o modo guiado pode ser ativado quando você quiser, te mostrando onde você tem que ir, assim facilitando sua vida.

Também há uma novidade que são as fotos, nelas você pode registrar no mapa um caminho que você ainda não pode acessar, mas conforme você ganha novas habilidades esses locais podem ser acessados.

A escolha de dificuldade apresentou um novo modo personalizado, que possibilita à escolha do dano dos inimigos, da vida dos inimigos, dano do ambiente, dificuldade de aparo, intervalo de esquiva e taxa de consumo do Athra. Sugiro que pensem bem e com calma nas horas do puzzle, esse é o charme do novo game da franquia Prince of Persia.

| Imagens

| Considerações Finais

Bom, joguei os antigos Prince of Persia e posso dizer que o game tá bem diferente dos anteriores, o que antes era um 3D com gráficos avançados para a época, virou um 2D magnífico. O que me surpreendeu bastante foi a ambientação e o tamanho do mapa, além de que conseguir novas habilidades no decorrer da gameplay me fez querer explorar cada cantinho que o mapa oferece. As legendas em português do Brasil também facilitaram muito, mas uma dublagem cairia bem na verdade.

O game tem uma história boa que me fez querer me aprofundar mais e mais, as habilidades possuem belos efeitos e parecem ser fortes visualmente. A questão da linha do tempo me deixou com um hype tremendo sobre esse jogo, por fazer referência ao Prince of Persia: Sands of the Time, que tinha relação com a manipulação do tempo

The Lost Crown superou muito minhas expectativas, é um game que eu quero completar os 100% e recomendo que todos joguem.

  • Perdeu as notícias da semana passada? Então confira tudo que rolou no Resumo da Semana!

| Avaliação

História
Visual
Áudio
Jogabilidade
Diversão

| Outros detalhes

VISUAL2D
MODO DE JOGOSINGLE-PLAYER
CONQUISTAS30
TIPOPLATAFORMA / AÇÃO / AVENTURA
TEMPO PARA 1000G25 A 30 HORAS

| Loja

Se achou esse jogo interessantem ou simplesmente quer um jogo para adicionar mais 1000G na conta, aqui tem os links para as lojas parceiras e se comprar na FullCards pode parcelar em até 12 vezes!


Não deixe também de conferir todas as promoções que estão rolando na Xbox Live acessando nosso link de ofertas. E se você estiver querendo acessar os jogos do catálogo do Game Pass e sua assinatura estiver acabado não se desespere, você pode renovar seu Xbox Game Pass Ultimate usando esse link com desconto.

Autor

  • DarlysonGod

    Sou o Darlyson Vital, tenho 17 anos, gosto de escrever sobre jogos da antiga e da nova geração, além de ter uma perspectiva diferente e retratar a história dos jogos de um ponto de vista de alguém que realmente joga e aprecia essa arte.